Vida e obra de Vidal Sasson

Aqui na Clínica, levamos a sério nosso compromisso de empre estarmos atualizados. E volta e meia, atualizar-se significa olhar pra trás, estudar a História para que o conhecimento acumulado por nossos antecessores possa ser usado novamente.

Uma de nossas referencias mais importantes no salão de cabeleireiras é o cabeleireiro inglês, Vidal Sassoon

Nascido a 17 de janeiro de 1928, em Londres, Vidal teve uma infância difícil pois entre os cinco e os onze anos viveu em orfanatos, depois do pai ter abandonado a família. Só voltou a morar com a mãe quando esta se casou outra vez. Era uma família de poucas posses, o que não permitiu a Vidal Sassoon seguir carreira como estudante. Assim, ainda jovem, aos 17 anos, foi trabalhar como aprendiz num salão de beleza e barbearia londrino, propriedade de Adolph Cohen, conhecido por “O Professor”.

Consciente que não poderia ambicionar a grandes estudos, Vidal Sassoon dedicou-se com muito afinco ao trabalho. Em 1957, fez pela primeira vez um penteado para uma pessoa famosa, a estilista Mary Quant, na altura em que esta lançou a minissaia. Logo no ano seguinte, abriu o seu primeiro salão de cabeleireiro e começou a ganhar mais fama. Vidal Sassoon optou por fazer novos cortes de cabelo geométricos com inspiração na famosa escola de design Bauhaus, pondo de parte os mais tradicionais. A partir daqui, começou a ter bastantes clientes, algumas das quais eram atrizes, cantoras ou manequins.

Ascensão de glória de Vidal Sassoon

Em 1959, criou o corte a que foi dada a designação de “forma”, pois adaptava-se à estrutura óssea da pessoa, a quem dava liberdade de movimentos. Pôs assim de parte os cortes e penteados volumosos da época e, a partir daí, apresentou uma série de inovações que privilegiavam a comodidade da mulher e seguiam as tendências da moda.

O cabeleireiro inglês acabou por se tornar o preferido das estrelas e criou vários estilos novos, como aconteceu com as atrizes Farrah Fawcet e Mia Farrow. A manequim Twiggy foi outra das suas clientes, para quem preparou um corte radical, que consistia em cabelo curto e pintado de vermelho.

Na década de 70, deixou de cortar cabelo para lançar uma série de produtos de cabeleireiro, que viriam a ser comercializados com muito sucesso em todo o mundo. Acabou por mudar-se para os Estados Unidos da América, de onde controlou a sua cadeia de salões de cabeleireiro, de produtos capilares e de escolas de estilismo.

Vidal Sasson era judeu e investiu parte da sua fortuna no Centro de Estudos de Antisemitismo e Xenofobia de uma universidade de Jerusalém em Israel. A Sassoon International Center for the Study of Antisemitism (SICSA) foi fundada em 1982. Em 1946, lutou nas ruas de Londres contra os grupos de militantes fascistas e, em 1948, combateu na guerra da independência de Israel.