Clínica de Estética e Spa Urbano Tatuapé, Zona Leste – Clinica Raízes

Clínica de Estética e Spa Urbano Tatuapé, Zona Leste – Clinica Raízes

Peeling Químico

O Peeling Químico é um tratamento altamente procurado nas clínicas dermatológicas, em busca de uma estética mais atraente e bem cuidada já que este procedimento é capaz de melhorar a aparência da pele, dando a ela mais viço e brilho. Normalmente é realizado na face, porém é recomentado também para a área do pescoço, do colo e das mãos.

Este tratamento tem como componente básico as soluções químicas como: ácido glicólico, ácido retinoico, ácido tricloroacético (TCA), ácido mandélico ou ácido carbólico (fenol) que agirão na pele e, por fim, ocasionará a sua descamação. Isso acontece porque estes ácidos usados são fortes, assim, a pele é “agredida” e defende-se descascando.

Embora a busca pelo resultado seja igual ou bem parecido entre os pacientes que se interessa por este tratamento, é importante ressaltar que o peeling existe em duas formas: Peeling Químico e Peeling Físico. A diferença que existe entre eles é a forma utilizada para ter a descamação, onde a primeira utiliza-se dos ácidos citados acima enquanto o físico, a pele é submetida a uma forma de “lixamento”, como por exemplo: esfoliação caseira, peeling de cristal ou de diamante.

O Peeling Químico ainda se divide em três formas de realização, de acordo com o problema e sua profundidade que serão previamente estabelecidos pelo dermatologista. Sendo eles:

Peeling químico superficial: este é o tipo mais simples, onde a camada mais externa da pele é removida. Ele é ideal para clarear manchar e tratar rugas mais finas.

Peeling químico médio: neste caso, são utilizados tipos de ácidos capazes de atingir até a camada média da pele, clareando manchas, tratando rugas finas e marcas de acnes superficiais. .

Peeling químico profundo: É o tipo mais agressivo e penetra várias camadas da pele, sendo usado apenas no rosto. A substância utilizada é denominada de fenol. Por ser profunda, tem a função de remover e clarear as rugas, além de contrair a pele. O pós-peeling exige o uso de curativos e a recuperação pode durar até um mês. Este tipo de peeling é recomendado para tratar cicatrizes profundas, rugas profundas e peles bem danificadas pelo sol.

Além desses benefícios, o peeling é indicado para melhoras as manchas da face e no dorso, cicatrizes de acne e combater a oleosidade excessiva, mas com algumas limitações. Há também os que estimulam a produção de colágeno, sendo indicados para tratar rugas superficiais e flacidez.

Devido os avanços na tecnologia, atualmente, os peelings químicos estão sendo substituídos pelo tipo a laser, já que este possui a vantagem de dar a profundidade certa por meio de cálculos precisos através do computador do aparelho de laser. Assim, o tratamento é manipulado especialmente para cada problema, além dos diferentes tipos de pele com o intuito de amenizar os possíveis riscos e complicações que este tratamento oferece para peles orientais, morenas e negras, como manchas ou cicatrizes inestéticas.

Cuidados para depois do peeling químico

Depois de uma sessão de peeling, a pele fica super seca, então você vai precisar hidratar o dobro do que faria normalmente, evitar exposição ao sol e sempre lembrar de aplicar protetor solar.

Protetor solar durante o dia é uma necessidade absoluta, enquanto a pele é extra vulnerável.

Os peelings químicos geram uma pele nova e linda. Esta nova pele, é portanto, um pouco mais suscetível aos danos dos raios solares. Por esta razão, é geralmente mais vantajoso utilizar peelings químicos durante o outono e inverno.

Não esqueça que os peelings só devem ser realizados por médicos capacitados para o uso das técnicas e acompanhamento do paciente no pós-procedimento.

Por isso procure um dermatologista! Pois, este poderá te orientar da melhor forma e ser responsável pelos bons resultados, evitando que você se decepcione com o procedimento.

Agende sua avaliação *GRÁTIS*: